AUTO-GUIDE™ 3000 não é só piloto automático!

28/03/2018

Categorias: Tecnologia, Tratores

Conheça outras funções que essa tecnologia oferece

Ao comprarmos um Massey Ferguson com piloto automático embarcado, estamos adquirindo um console C3000, um receptor AGI-4, além das pré-disposições elétrica e hidráulica necessárias para o seu funcionamento.

A primeira ideia que nos vem à mente quando utilizamos os termos “tela”, “monitor” ou “piloto automático” é a função de autodirecionamento que esse equipamento nos permite.

Estamos falando daquele trator que “dirige sozinho”, consegue fazer linhas paralelas, trabalhar com projetos, repetir o traçado, etc. De fato, é a característica mais evidente que o AUTO-GUIDE™ 3000 da AGCO oferece. Mas gostaria de chamar a atenção exatamente para outras funções não menos importantes que essa ferramenta nos proporciona.

Com investimentos em equipamentos complementares, a tecnologia nos permite:

  • Monitoramento, controle de taxa e controle de seções para insumos sólidos e líquidos;
  • Sensoriamento de culturas para aplicação de fertilizantes em tempo real;
  • Sintetização instantânea de dados de rendimento e umidade na colheita e;
  • Ligação de câmeras de vídeo na tela para visualização de implementos e realização de manobras.

Falaremos aqui do passo mais próximo a ser dado para quem já possui o AUTO-GUIDE™

3000: monitoramento e controle de até 8 insumos simultaneamente mesmo com um implemento tradicional e usado.

Na prática, isso significa que podemos utilizar o AUTO-GUIDE™ 3000 em conjunto com um módulo ASC-10 da Topcon para fazer o controle de taxa do insumo, ou seja, o monitor irá dosar a quantidade de um produto a ser aplicado de acordo com o deslocamento do trator ou um mapa de necessidades.

Desse modo, fica garantido que a quantidade aplicada será sempre a desejada para qualquer velocidade do trator, proporcionando qualidade e economia na operação.

É possível trocar a dose apenas digitando um novo valor numa tela simples e amigável sem a necessidade de nova calibragem para o mesmo insumo.

O monitor ainda irá apresentar a área aplicada, o rendimento operacional e impedir o remonte do produto, função esta que pode ser aliada ao corte automático de seções. Tudo isso, independente de usar ou não a função de piloto automático do seu equipamento.

Para trabalhar com essa tecnologia no caso de insumos sólidos, podemos adaptar qualquer implemento cujo acionamento seja por motor hidráulico, como sulcadores, cultivadores, plantadoras, distribuidores a lanço, etc. Basta utilizar uma válvula solenóide PWM e um medidor de pulsos como um sensor indutivo ou um encoder, todos encontrados facilmente no mercado.

Nos insumos líquidos, como pulverizadores, cobridores de cana, aplicadores de inseticida, aplicadores de inoculante, adubadeiras líquidas, etc, é preciso um comando elétrico e um fluxômetro.

Para quem já possui o trator com AUTO-GUIDE™ 3000, fica a sugestão de dar maior usabilidade para o equipamento, praticando uma agricultura mais precisa e sustentável com baixo investimento adicional.

E para quem não possui, ficam outros esclarecimentos que podem influenciar na decisão de compra.